sábado, 24 de dezembro de 2011

Critica da Semana (Natalina) -- Gato de Botas



Entre novelos e pelos

  Bom pessoal como vcs devem ter notado (ou não) semana passada não teve crítica da semana, e isso aconteceu porque fiquei muito enrolado com meus trabalhos nessas ultimas semanas, porque como vcs devem saber, eu ainda estou longe de viver apenas do blog (se quiserem fazer alguma doação de final de ano estamos aceitando), e por isso, além de não colocar a crítica da semana passada no ar, não assisti nenhum filme essa semana, assim vou colocar no ar essa semana a crítica do filme que vi na semana passada (deu pra entender???) eee como essa já é a semana do natal, deixei para postar a crítica na véspera, já que provavelmente semana que vem não vai ter crítica porque o blog entra de férias ( eu tb claro)... vcs me perdoam pela confusão né? O.O *olhinhos do gato de botas*, claro que desculpam ninguém resistes a esses olhinhos de gato pidão. E já que entramos nesse assunto, é exatamente esse o filme que falaremos hoje. O primeiro filme próprio do personagem de Sherek2 que conquistou o mundo inteiro... El temido Gato de Botas é o nosso filme da semana.

  Seguindo a linha do filme que lhe fez famoso nas telonas Gato de Botas tem o seu plano de fundo baseados em alguns contos de fadas famosos sendo que colocando eles em um ponto de vista satírico, já que a fórmula funcionou em todos os filmes da trilogia Shrek, pare bem óbvio que a equipe da DreamWorks Animation mantenha a ideia em sua nova empreitada com o felino mais galante do cinema.
  
  Nesse caos o conto literário principal que norteia a história é João e o Pé de Feijão, já que conta a lenda que lá em cima nas nuvens onde os feijões mágicos levam, vive um ganso que coloca ovos de ouro e sendo o Gato um caçador de recompensas achar os ovos de ouro tem sido um dos grandes sonhos de sua vida, mas ele descobre que os feijões mágicos que podem levá-lo aos ovos está em posse de um casal de temidos bandidos conhecidos com Jack e Jill. Porém irão se juntar a ele nessa empreitada a gata Kitty Pata Mansa e seu ex-amigo de infância, o ovo Humpty Dumpty e vamos descobrir que há muito mais nos planos do herói felpudo do que apenas interesse pelo ouro. 
  
  Além dos livros de histórias, existem também fortes referencias a outro personagem de bastante sucesso na tv e no cinema. São incontáveis as cenas que remetem ao justiceiro mascarado do oeste Zorro. E fora a espada, a forma de lutar, os inimigos da lei, as cavalgadas ao por do sol e é claro o irresistível charme galanteador, existe outra coisa em comum aos dois personagens... Antonio Bandeiras (A Pele que Habito), o ator que já viveu o herói mascarado por duas vezes no cinema em A Mascará do Zorro e A Lenda do Zorro também empresta sua voz ao Gato (no original) com todo charme de seu sotaque castelhano (ficou muito boiola isso? Não né??)
  
  Além de Bandeiras, Salma Hayek (Era Uma Vez no Mexico) também empresta sua voz para Kitty e Zach Galifianakis (Se Beber, Não Case!) para Humpty. A trilha sonora empolgante, no melhor estilo velho oeste, gênero que também tem bastante influencia no visual do filme, seja pelos cenários ou ainda nas passagens de tempo com divisão da tela em quadrados que mostram a cena em diversos ângulos diferentes. O filme tem um bom ritmo e consegue variar momentos de ação, lutas, romance e humor de forma bem leve para agradar as crianças e para não entediar os adultos, tem inclusive momentos que tenho certeza que os adultos vão se divertir bastante também, inclusive aquelas piadas que são marcas de alguns desenhos animados hoje em dia, que a gente vê e pensa... “Essa piada não foi pra criança né?” Sutilmente pesadas colocadas de forma que as crianças nem perceberam, mas os adultos riram.
  
  Enfim uma história interessante, que consegue se manter na linha, mas não na mesmice do que já tinha sido visto em Shrek e que consegue ser uma história infantil com nuances interessantes e cheia de simbolismos principalmente nas cenas finais. Acho que vai ser um ótimo programa de fim de ano em família para quem ainda não viu e quem já viu não se arrependeu. E duvido muito que essa seja ultima vez que vemos o corajoso e divertido Gato de Botas em ação.

  
  Feito com Efeito: Essa semana temos um filme completamente feito em Computação Gráfica, acho que o ultimo assim que fizemos por aqui foi Smurfs e esses casos são legais que sempre tem bastante coisa pra comentar. Pra começar uma coisa que vemos é que a DreamWorks tem um estilo de trabalho próprio e que se preocupa muito mais com o contexto geral do CG do que com os detalhes. Percebemos pelos belíssimos cenários que vemos a todo o momento, nota-se que é um é uma preocupação a parte manter o ambiente sempre da melhor forma possível para a cena. Porém por outro lado, não vemos aquela precisão em pequenos detalhamentos como pelos por exemplos (e olho que nesse tem bastante gato peludo pra todo lado), mas não existe uma preocupação extrema com esse aspecto, como vemos, por exemplo, em Monstros S.A. da concorrente Pixar, a não ser que seja o caso de um close ou algo do tipo, como acontece quando a Gata mostra os pelos fofinhos de sua pata.
  
  O 3D, e nesse caso me refiro à projeção, já que a modelagem é um ponto que nessas grandes produtoras dispensa comentários e salvo raríssimas exceções são ótimas, a projeção não compromete, mas também não tem nenhum grande destaque, talvez porque o estilo meio clássico do filme não pede muito a utilização dessa técnica toda hora e foi ótimo a direção respeitar esse aspecto já que um excesso de coisas voando da tela poderia quebrar o clima e fazer ficar chato e fora de contexto.
  
  Outro momento que me chamou atenção, ainda que também se enquadre no aspecto do cenário que eu já falei, são as nuvens na hora que eles sobem o pé de feijão, a aurora boreal no céu e o efeito das nuvens, que quase lembram aqueles colchões super macios que adorávamos pular quando criança, dão um clima de mundo da fantasia muito bom pra cena.
  
  E para encerrar por hoje, que já falei bastante (eu disse que me empolgo com esses filmes) tem uma cena em que o Gato e a Kitty fazem uma dança sensual, no estilo de um tango em que a animação dos personagens é ótima!!! Os passos de dança todos galantes dele e ela rebolando e mexendo a cintura de forma sensual pra chamar a atenção dele, não deixa nada a deseja a Antonio Bandeiras e Katherine Zeta-Jones em A Máscara do Zorro.
  
  Bem acho que é tudo isso...

: Ahh é natal... E vamos nesse clima natalino para a crítica!!! Existem alguns ótimos pontos nesse filme pra começar pelos efeitos e visuais maravilhosos que já foram ditos aqui em cima... e como eu acho ruim, em filmes de animação desse estilo dar destaca para um tipo de trabalho específico, vou destacar na verdade uma cena e um personagem que me agradaram muito.
  
  Primeiro o personagem que, apesar dos centrais serem bons, é na verdade um personagem bem secundário... ele é um gatinho que em alguns momentos durante o filme quando se espanta, aparece e solta um “OOhhh”, parece nada de mais, mas toda vez que ele surge arranca varias gargalhadas do publico, achei a ideia genial!!!
  
  E a outra é a cena que acontece em um lugar com todo um estilo de saloon e velho oeste, onde termina a perseguição do gato à um felino mascarado que surge em seu caminho e a inevitável batalha entre eles começa...com um desafio de dança!!! Que depois vira um duelo de espadas, toda a sequência é muito boa, com vários ótimos detalhes e o desfecho é melhor ainda.
  

  No geral é um filme que me agradou bastante é apesar de não ter nenhum graaande brilho provou para aqueles que tinham dúvida que o personagem tem completo potencial para levar um filme sozinho e provavelmente até ter sua própria franquia de filmes. É isso aí galera me despeço por aqui já em clima de férias final de ano, feliz natal para todos vcs e até a próxima crítica.

  
Ed: Em primeiro lugar, para que fique claro, eu fui obrigado a usar esse chapéu idiota...não tenho nada contra o natal em si, mas detesto o jeito imbecil que as pessoas se comportam nessa época do ano. Sendo assim, já que estamos nessa época tããão magica ¬¬ podem imaginar que meu humor está uma maravilha né? Sendo assim vamos logo pra crítica...

Já começo dizendo que até a metade a história é bem previsível... Não é surpresa nenhuma o jeito que as coisa vão acontecendo “ahhh Ed, mas é filme de criança” não é problema meu...e as crianças são bem mais espertas do que se imagina, por isso não precisa ser simples porque é infantil e se vai ser óbvio, faça simplesmente, não tente criar uma expectativa como se fosse enganar todo mundo.
“Ahhh mas no final melhora...” tá mas não é minha função falar disso logo...

Ahhnn ok o que mais posso dizer... outra coisa que me incomoda um pouco é a escolha do personagem secundário Humpty Dumpty apesar de ser um personagem relativamente conhecido na Inglaterra são poucos, os que conhecem sua história ao redor do mundo, assim para as crianças pode não fazer muito sentido um ovo com braços, pernas e rosto como personagem... eles até se utilizam dos simbolismos que remetem a história literária de Humpty, mas então vamos decidir, é pra criança ou não é?? Porque esses símbolos pouquíssimas (para não dizer nenhuma) vão entender...


E é isso fico por aqui e espero que vcs consigam aproveitar o natal nesse calor insuportável que faz essa semana no Rio de Janeiro, nessas horas eu queria ainda morar nos EUA, e tenham força para aguentar porque logo toda essa confusão passa e um novo ano começa ok?? (sim, esse foram os votos de boas festas dele pra vcs – Hiro)


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentem aí, suas opiniões são bem vindas e fazem o CA bem mais divertido, mas mantenham o bom senso ok? Perguntas serão respondidas sempre que possível...