sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Crítica Extra -- Invocação do Mal

  
  Mais uma vez venho aqui para apresentar um novo colaborador do CA e fico muito feliz, porque isso significa que a galera está crescendo e cada vez vamos poder trabalhar mais e melhor para trazer sempre o melhor conteúdo do mundo da 7ª arte pra vcs nossos leitores. Então seja bem vindo Barão!!! Vamos aproveitar essa estreia dele com crítica e de um filme que está sendo muito comentado para dar as boas vindas na caixa de comentários ai em baixo, falando do filme e principalmente do que acharam da estreia dele!
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
  
  O Medo mudou de Forma
  
  Pensem num filme tenso, com muitas tramas envolvidas, surpresas no decorrer da história e para piorar, a todo momento te lembram que este filme é baseado em fatos reais.
  
  Alias este ultimo detalhe, criou uma expectativa diferente sobre este filme e que com certeza no término dele nos faz ter uma sensação de alivio que diz bem baixinho: “ainda bem que não é comigo”.
  
  O filme desenvolve toda a história num ritmo adequado, sem cansar com muitos clichês (pois a cena de espirito puxar perna de quem dorme é um pouco batida, né?) ou entregando toda história antes, e se utiliza do famoso recurso onde em cenas de maior tensão, coloca quem já esta sofrendo na poltrona em primeira persona nos remetendo de vez dentro da situação.
  
  Com muitos momentos de desespero total quando aparições, vultos e outros propósitos dão as caras no longa, ele veio para dar um novo folego nestes tipos de filmes , que já se demonstravam um tanto cansados, vide Atividade Paranormal que apesar de ter uma legião de fãs a cada filme as justificativa de um novo filme tornou-se cada vez mais fracas.
  
  A filme começa com outra história de uma boneca a lá Chucky causando desde os primeiros minutos de filme uma sensação de medo, que já deixa claro o que virá pela frente.
  
  O filme se passa em 1971 e o casal Roger (Ron Livingston - Amor a Distância) e Carolyn (Lili Taylor que interpretou Sheriff Lillian Holley no ótimo Inimigos Públicos), gastam todo seu orçamento para adquirir um Casarão (daí vem um pouco de clichê) num local afastado, com muitas arvores em volta e um lago no fundo … após a mudança a família começa a perceber alguns sinais de que alguma coisa esta errada, como manchas roxas no corpo de Carolyn, ruidos e principalmente a famosa brincadeira de Cabra-cega que gera um dos principais momentos de desespero no filme.
  
  Por outro lado existem os heróis caçadores de demônios Ed (Patrick Wilson - Prometheus) e Lorraine Warren (Vera Farmiga - A Órfã), que não fazem simplesmente o trabalho com espíritos mas acabam se envolvendo por inteiros, causando efeitos até em sua própria casa com sua filha.
  
  Mas a partir dai o filme toma rumo próprio e remete o expectador a terror bem elaborado e bem assustador.
  
  Ponto para o diretor James Wan (Jogos Mortais) que já mostrou seu potencial em outros trabalhos e neste que consegue reciclar ideias e até inovar em algumas situações.
  
  O filme deixa uma leve impressão que seja possível este lançamento ser apenas uma porta para lançar uma possível série do casal exorcista e suas aventuras (#ficaadica)… Afinal de contas eles tem uma grande quantidade de objetos amaldiçoados guardados na própria residência e possivelmente uma terrível história para cada item … !
  
  Na minha opinião o melhor filme do gênero lançado até o momento, se estiver afim de se assustar é uma excelente oportunidade!
  
: O terror é um gênero que tem perdido força nos últimos anos, porém recentemente tem conseguido reconquistar algum espaço. Talvez a falta de inovação nos trabalhos tenha sido o principal motivo da queda. A pouco tempo tivemos o remake do clássico A Morte do Demônio dirigido por Fede Alvarez e agora Invocação do Mal, chega com uma ótima aceitação nas telas.
   
  O fato de ser baseado nas histórias de dois demonologistas é um agravante, mas ser baseado em fatos reais nem sempre faz a história mais assustadora, pelo contrário, muitas vezes pode gerar descredibilidade, ainda mais se pensarmos que o casal de exorcistas na vida real foi acusado de adulterar histórias para causar mais impacto em adaptações.
  
  A vantagem do filme está na forma que foi feito, não com cenas forçadas para causar um climão e tentar assustar o espectador, mas sim conduzindo as cenas, com planos bem escolhidos e sequencias bem pensadas, de forma que o espectador se sinta envolvido pelo caso, assim qualquer suspiro vira um momento de tensão, sem precisar de gritos e aparições repentinas.
   
  A casa em si é um personagem assustador, seus cômodos enormes e portas antigas, quase que se encaixam com as aparições que surgem pelo cenário da forma mais natural. Talvez essa naturalidade com que as cenas são expostas, é que causa mais angústia em quem está assistindo, gerando um terror constante e não os clássicos sustos pontuais
  
  O roteiros dos gêmeos Chad e Carey Hayes, responsáveis por outros suspenses famosos como A Casa de Cera e  A Colheita do Mal, dá um ótimo andamento a história, cheio de referências à clássicos do terror. Mas apesar disso, o que dá um toque diferente à história foi a forma como foi realizada e por isso tenho que concordar com o nosso novo colaborador (seja bem vindo, por sinal) e dar o crédito da produção ao diretor James Wan que fica com meu destaque de hoje.
  
  Ahh e quanto a ter mais filmes da série como foi comentado na crítica, praticamente não tenho dúvidas, afinal a Warner não vai perder a chance de ter um concorrente à altura para o Atividade Paranormal.
  
Ed: Enquanto falam terror, assustador, sustos... eu ouço, blá blá blá clichês clichês clichês! Parece impossível terror sem clichê, aliás eles me assustam mais que as próprias aparições da história. Pés sendo puxados da cama, a casa quase caindo de tanto barulho em uma cena, onde as crianças dormem tranquilamente... enfim, não vou ficar falando deles o tempo todo.
  
  Aliás mais susto do que clichês, só quando vejo o nome do Wan assinando o filme, porque já sei que vem trabalho dobrado. Foi a mesma coisa com Jogos Mortais. Sobrenatural também não foi nada simples... o cara não me dá sossego!!!
  
  Mas se realmente mais filmes estão à caminho, para se tornar uma franquia, tenho esperança de trabalhos mais fáceis daqui pra frente, até porque existe uma boa chance da história ficar repetitiva e cair na rotina... tá ai a franquia Atividade Paranormal que não me deixa mentir!
  
  Ficha técnica do filme

Um comentário:

Comentem aí, suas opiniões são bem vindas e fazem o CA bem mais divertido, mas mantenham o bom senso ok? Perguntas serão respondidas sempre que possível...