segunda-feira, 31 de março de 2014

Trailer de Sex Tape com Cameron Diaz



  Na era da informação, tudo e todos estão conetados, muitas vezes até sem se dar conta disso e cada vez mais o mundo caminha para o compartilhamento instantâneo de informações, através de tecnologias como o 3G, Wi-fi e mais atualmente a tão comentada Nuvem (Cloud). Tudo isso facilita o nosso acesso diário a informações ao redor do mundo a facilita que compartilhemos as nossas. 
  
  Além disso, atualmente muitos aparelhos trabalham com a função de sincronização que permite fazer com que vários dispositivos recebam a mesmas informações e tenham todos os mesmos arquivos, pois compartilham dados entre si. Exatamente essa maravilhosa tecnologia colocou o casal Annie e Jay na maior confusão de suas vidas.
  
   Cameron Dias (O Conselheiro do Crime) e Jason Segel (É o Fim) vivem essa casal que depois de um início de relacionamento com vida sexual intensa, como quaisquer novos amantes, acabam caindo em uma rotina e para dar uma apimentada nas coisas, resolvem fazer sexo e filmar tudo com um Ipad. O que eles não contavam era que o vídeo seria sincronizado com outros vários Ipad que eles tinham comprado para dar de presente para amigos e familiares de Natal. Agora todos os presentes contém um vídeo íntimo do casal e eles vão fazer tudo (literalmente tudo) que puderem para recuperar os aparelhos antes que todos vejam, ou pior... acabem se tornando a próxima atração da internet!
  
  Quem dirige essa bagunça é Jake Kasdan que já havia dirigido Cameron em Professora Sem Classe e o roteiro foi escrito por Kate Angelo (Plano B).
  
  Confira o trailer oficial (em inglês) para maiores recém lançado (+18):
  
           
  
  O elenco do filme ainda conta com nomes como Rob Corddry (O Verão da Minha Vida), Rob Lowe (Chris Traeger da série Parks and Recreation) e o impagável Jack Black (Rebobine, Por Favor).
  
  ----------------------------------------------(Atualizado em 21/05)---------------------------------------------------
  
  Acaba de ser lançada também a versão legendada sem censura, com algumas cenas diferentes. Confiram também.
 
   
  Confira também as imagens do filme na nossa galeria e continue ligado para mais novidades em @CinefilaArte e curtam nossa Fanpage.

quinta-feira, 27 de março de 2014

Primeiro Teaser do novo filme As Tartarugas Ninjas

  
  
  21 anos depois do final da primeira trilogia nos cinemas das tartarugas mais badass da história e 7 anos depois de sua frustrada tentativa de retorno as telonas, na versão animada, As Tartarugas Ninjas - O Retorno. As mutantes ninjas que participaram da infância de muita gente fazem esse ano seu retorno triunfal (assim esperamos) as telas do cinema. 
  
  Certamente não podemos garantir a qualidade do produto (blockbusters são sempre uma caixinha de surpresas), mas já de cara podemos dizer que o tamanho da produção aumentou bastante desde sua primeira aparição, que teve um custo de aproximadamente $13,5Mi e apesar de ainda ter ter sido divulgado o custo oficial, pelo teaser que vcs vão ver dá pra imaginar que o custo vai ficar um pouquinho maior.
  
  A produção já começa com um nome de peso, já que está sendo produzida por Michael Bay, diretor e produtor da franquia Transformers, que já vai para o seu 4º filme. O elenco é encabeçado por Megan Fox, que parece ter agradado Bay nos 2 Transformers em que trabalhou com ele, e assume o papel da jornalista April O'Neil (visualmente, já não achei que combina muito com o papel, mas vamos aguardar pra ver). 
  
  Entre as tartarugas (sim, elas serão interpretadas por atores de verdade com inserção digital, técnica semelhante a usada no personagem Golum de LotR) os mais conhecidos - e que nem são tanto assim - são Alan Ritchson (Jogos Vorazes: Em Chamas) e Noel Fisher (A Saga Crepúsculo: Amanhecer - Parte 2), que serão Raphael e Michelangelo respectivamente. Os outros dois serão o praticamente desconhecido Pete Ploszek, como Leonardo e Jeremy Howard (Ela e os Caras) que tem na sua maioria pequenas participações em seu curriculum.
  
  A direção não ficará com Michael Bay, e sim com o pouco experiente, Jonathan Liebesman responsável por filmes como Fúria de Titãs 2 e Invasão do Mundo: Batalha de Los Angeles, assim como o terror O Massacre da Serra Elétrica: O Início. Esses três praticamente resumem toda a experiência do diretor. O que parece ser uma constante já que todos os outros diretores (cada filme teve um), inclusive a versão animada, tinham pouca experiência com cinema à época do trabalho (será que é de propósito?).
  
  A história foi escrita pela dupla Josh Appelbaum e André Nemec que já trabalharam juntos em diversas séries norte americanas e fizeram sua estréia, também juntos no cinema em Missão: Impossível - Protocolo Fantasma.

Vamos conferir o teaser!
  
            
  
  Ahhh, já ia esquecendo do Mestre Splinter que será interpretado por um dos anões mais famosos de Hollywood, Danny Woodburn (atualmente ele perde pro Peter Dinklage de Game of Thrones, é claro) que atuou em clássicos como Um Herói de BrinquedoMorra, Smoochy, Morra e mais recentemente Espelho, Espelho Meu. 
  
  Outros nomes de mais peso no elenco são o ator William Fichtner (Elysium)  que dará vida ao vilão Destruidor (The Shredder no original) e a hilária Whoopi Goldberg (Pronta Para Amar) que será Bernadette Thompson (pra falar a verdade não lembro da personagem no desenho, alguém lembra?)
  
  Eu como fã do desenho espero que finalmente tenhamos um filme há altura do sucesso que o desenho sempre foi, agora é aguardar a estréia e torcer pra estrear bem, porque certamente se tratando de Michael Bay, será o primeiro de um nova franquia, se der o retorno esperado é claro!
  
  Confira também as imagens do filme na nossa galeria. Para mais novidades sobre esse e outros filmes que vem por ai sigam o @CinefilaArte e curtam nossa Fanpage.
  

Crítica da Semana -- Entre nós

  
  O tempo deixa lembranças e marcas profundas
  
  O futuro é sempre um ponto distante, algo afastado nós, algo que imaginamos, projetamos e às vezes sonhamos com. Mas quando exatamente chega esse momento? Sempre haverá um futuro e o presente é o futuro se transformando no agora. O que você espera do seu futuro? Onde você pretende estar daqui a 10 anos? Algumas vez você já se perguntou isso?
  
  Um grupo de jovens que estava de férias em uma casa de campo, parou para fazer esse questionamento e dele surgiu a ideia de cada um escrever e enterrar uma carta para si mesmo no futuro e 10 anos depois eles voltariam para reabrir a caixa e ler o que cada um escreveu. O que eles não esperavam é que uma grande tragédia iria acontecer naquele dia, que marcaria a vida de todos e faria do reencontro 10 anos depois, muito mais profundo e revelador do que eles já mais puderam supor.
  
  O elenco do filme nacional que teve sua estreia no Festival do Rio 2013, conta com um elenco de grandes nomes como Caio Blat (Alemão), Carolina Dieckmann (Sexo com Amor?), Maria Ribeiro (Tropa de Elite 2 - O Inimigo Agora É Outro), Paulo Vilhena (As Melhores Coisas do Mundo), Júlio Andrade (Gonzaga:De Pai pra Filho), Martha Nowill e Lee Taylor (Estamos juntos).
  
  Em entrevista o elenco do filme confessou que o mais interessante em fazer o filme foi que eles estavam representando amigos, porém não a amizade... a maior parte do elenco já eram amigos entre si antes do filme, o que foi uma escolha acertada do diretor Paulo Morelli (Cidade dos Homens), que assina a direção e o roteiro juntamente com seu filho Pedro Morelli (como co-diretor), estreante em longa metragens para a telona. Essa relação entre os atores fortificou as bases da história, que é construída em cima da criação dos personagens e da relação entre cada um deles.
  
  Porém, não só de material humano se faz a qualidade dessa produção, o ótimo trabalho na fotografia de Gustavo Hadba (Meu Pé de Laranja Lima) é o outro ponto forte da produção, que se utiliza do belo visual do interior de São Paulo para realizar ótimas cenas, com escolhas de enquadramentos mais do que acertadas para explorar o melhor de cada ambiente, levando em conta que o filme se passa todo nessa casa de campo. Um local que, visualmente, passa uma calma e tranquilidade que se opõe diretamente a situação tensa em que os personagens se encontram muitas vezes, após o retorno 10 anos depois.
  
  Entre Nós é uma história sobre a passagem do tempo, sobre sonhos que se criam e frustrações que acabam vindo com o decorrer da vida. Cada personagem tem seus conflitos e suas frustrações e, que devido a ótima construção de cada um deles, consegue aflorar e se misturar com os dos outros criando uma teia de sonhos, frustrações expectativas e desilusões. Além é claro dos segredos mais profundos que cada um guarda e que em meio ao turbilhão de sensações acabam vindo à tona.
  
  Pai e filho, fazendo um filme juntos, alcançaram a mistura certa entre sobriedade e juventude, entre a sabedoria dos questionamentos da vida e o tom leve das brincadeiras entre amigos. Junções que proporcionam boas cenas como a discussão que surge em um almoço devido a um cordeiro que queimou, que se torna um questionamento do personagem sobre a sua própria vida, ou ainda a sequencia onde os personagens conversam na mesa sobre a influência dos anos nas suas vidas, onde a variação da tensão para momentos de descontração são feitas no tom certo.
  
  Esses são dois bons exemplos de outro ponto forte do filme, o diálogo, que faz a conexão entre os personagens e muitas vezes nem precisa ser dito pra trasmitir a mensagem. Um filme nacional que já vale ser visto apenas por fugir do conceito padrão de filmes de comédia que inundam nosso cinema, mas acima disso, pelos diversos questionamentos que levanta sobre temas com ética, confiança, realizações pessoais e amizade.
  
  Feito com efeito: Mais um filme nacional que pouco se utiliza de efeitos visuais. Um filme focado nas pessoas e que realmente não pede esse tipo de intervenção visual. Talvez só na cena do acidente tenha tido algo de efeito ali, mas que de qualquer forma não ficou muito boa.
  
: Mais um filme brasileiro, terceira crítica na sequência se não me engano. Isso significa que o cinema aqui no Brasil está cada vez mais aquecido? Os três tiveram boa recepção de público e crítica, dois deles estiveram no Festival do Rio - esse aqui sendo um deles - e nehum dos três é comédia televisiva. Definitivamente podemos ver com um ponto positivo para as produções verde e amarelas. Mas vamos ao filme...
  
  Se utilizar de pessoas que já tinham uma relação prévia, como mencionado na crítica, foi muito importante para a química do filme. Maria Ribeiro que além de contracenar com amigos no elenco, trabalhou pela primeira vez no cinema ao lado de seu marido Caio Blat, chegou a dizer que as gravações do filme foram o mais próximo de férias que eles tiveram em alguns anos. Toda essa química se reflete no filme e na relação entre os personagens.
  
  Quanto a fotografia que já foi muito bem comentada também na crítica anteriormente, quero fazer só um acréscimo sobre as cenas noturnas, filmadas com se estivessem a luz da lua. As sombras em contraste com os traços e expressões iluminadas pela luz, gera um ambiente sombrio e bonito ao mesmo tempo, gostei bastante. Na verdade, todo o filme se utiliza desses recursos com sombras e reflexos, boas escolhas de pai e filho (Paulo e Pedro Morelli) e claro, da fotografia do Gustavo.
  
  Difícil dar um destaque especial para esse filme, já que a principal qualidade dele está no conjunto. Porém, algumas atuações se destacam como a do Caio que é sobre quem gira o principal conflito da história, assim como as do divertido e problemático casal do Julio e Martha. Assim como a fotografia que não só se destaca como ilustra o filme todo o tempo.
  
  Não é à toa que o filme levou 3 troféus Redentor, no Festival do Rio do ano passado, além de ter sido selecionado para a competição oficial do Festival de Roma e ter levado mais 2 prêmios no Amazonas Film Festival e mais um no Festival de Havana. Com isso acho que não preciso mais entrar em detalhes, né? Até a próxima cinéfilos!
  
  (Obs: Se vira aew mão de chumbo! xD)
  
Ed: De certa forma é interessante ver alguns filmes brasileiros dificultando meu trabalho, geralmente é tão fácil falar mal deles.
  
  Mas vamos começar pelo básico, a cena do acidente é bem mal realizada, flash rápidos e cenas internas que não funcionam bem. Podiam ter tido um pouco mais de cuidado com a cena que norteia a história do filme.
  
  A trilha sonora é um pouco exagerada em certos momentos e faz certas cenas excederem o nível dramático, pro dramalhão desnecessário.
  
  Parece que hoje vou ficando por aqui, quem sabe no próximo as merretas estejam mais afiadas!

  
  

quinta-feira, 20 de março de 2014

Crítica da Semana -- Alemão


  No interior da ocupação do Complexo
  
  Filmes falando sobre as tão famosas comunidades brasileiras (principalmente no Rio de janeiro) não faltam no cenário cinematográfico nacional, sendo que dois ganharam proporções mundiais. É claro que todo mundo que acompanha um pouco de cinema sabe que estou falando dos grandes sucessos de bilheteria, Tropa de elite e  Cidade de Deus. Apesar do sucesso e da projeção que ganharam esses não foram os primeiros filmes que usaram essas comunidades como cenário e certamente não vão ser os últimos. As favelas são algo presente no dia a dia de quase todos os estados do Brasil e por isso, assuntos sobre o tema não vão faltar.
  
  Agora chega aos cinemas um novo produto nessa linha, Alemão trás para as telas do cinema um dos maiores complexos de favelas do Rio de janeiro, O Complexo do alemão. Formado por várias comunidades o Complexo hoje chega a incrível marca de quase 70.000 habitantes e era considerado uma das áreas mais violentas e perigosas do Rio de janeiro, até recentemente quando foi ocupado pelo governo para a implantação da Unidade de polícia pacificadora (UPP).

  É sobre esse momento que o estreante roteirista Gabriel Martins debruçou os olhos e utilizou se utilizou da ocupação para criar uma história ficcional, porém apoiada em fatos jornalísticos e histórias apuradas, fato reforçado pelo diretor José Eduardo Belmonte (Billi Pig) com a utilização de imagens reais em alguns momentos da história, sobre um grupo de policias que à época da invasão do Complexo, estavam lá dentro infiltrados como moradores para colher informações para a polícia.

Divulgado primeiro trailer de Juntos e Misturados!


  Foi divulgado hoje o primeiro trailer da comédia Juntos e Misturados, que traz a volta da dupla Adam Sandler (O Paizão) e Drew Barrymore (Para Sempre Cinderela). Os dois já contracenaram em Afinado no Amor e Como se fosse a primeira vez.
  
  Depois de um encontro às cegas que não deu muito certo, Lauren (Drew) e Jim (Adam) decidem que não querem se ver mais. Só que o destino quis uni-los nas férias de verão com os filhos, onde acabam tendo de dividir a mesma suíte num resort africano.
    
  O elenco é de primeira! Conta com Wendy McLendon-Covey (Missão Madrinha de Casamento), que faz a melhor amiga de Lauren, Terry Crews (Os Mercenários 2), que faz o cantor do luxuoso resort; as crianças Bella Thorne (Ligado em Você), Emma Fuhrmann (O Reencontro) e Alyvia Alyn Lynd (Os Escolhidos), filhas de Jim e Kyle Red Silverstein (Gabe the Cupid Dog) e Braxton Beckham, estreante nas telinhas do cinema,  filhos de Lauren.
  
  A direção ficou por conta de Frank Coraci, que também dirigiu Afinado no Amor anteriormente. Também dirigiu Adam em comédias de sucesso como O Rei da Água e Click. Lembrando que Adam Sandler participa da produção de Juntos e Misturados; Com ele, novamente, está também Jack Giarraputo, que já produziu vários filmes de sucesso de Adam, como: Eu os declaro Marido e Larry, Esposa de Mentirinha, Gente Grande e Cada um tem a Gêmea que Merece.
  
  As locações foram em sua maioria na África do Sul e o lançamento previsto aqui no Brasil é para o dia 06 de junho de 2014; o nome original do filme é Blended.
  
 Confira o trailer legendado! Fiquei morrendo de vontade de assistir ;)
  
    
           

  Vejam as fotos dessa esperada comédia em nossa galeria e não esqueçam de comentar e acompanhar cada detalhe dos filmes e estreias seguindo o @CinefilaArte e curtindo nossa Fanpage

quarta-feira, 19 de março de 2014

Crítica da Semana - Minutos Atrás



   Como tu vai deixar pra depois, se nos teus bolsos só tem o agora pra gastar?
   
   Ao contrário dos últimos filmes brasileiros exibidos nas telonas, que retratavam casais em uma comédia vivida em seus mundinhos de riqueza, Minutos Atrás convida o telespectador brasileiro a viajar em uma história muito simples, num misto de comédia e drama, de verdades e mentiras, de sonhos e esperanças, proporcionando uma indiscutível reflexão existencialista.
   
   Logo no início, podemos observar a mistura bucólica do cenário P&B e personagens em cores, com um toque teatral que aposta nas alegorias. Toda história é contada de forma muito poética, com cenas lúdicas e questionamentos perturbadores. Como já citado anteriormente (veja aqui), o filme foi realizado com baixíssimo orçamento e é protagonizado por Vladimir Brichta (A Mulher Invisível), Otavio Muller (Giovanni Improtta) e Paulinho Moska (O Homem do Ano). Brichta e Muller, como sempre, garantem as cenas de forma confiante, mas a revelação do momento sem dúvida é Paulinho Moska que dá um show de interpretação se apresentando como o fiel companheiro Ruminante, além de ser responsável por uma trilha sonora invejável.